quarta-feira, novembro 30, 2005

A publicidade, outra vez


Mais uma vez um anúncio, aliás a sua música, fez-me descobrir um artista. Trata-se do anúncio do LCD Bravia da Sony, a música é “Heartbeats” e o dito cujo chama-se José González. O pequeno (pouco mais de 30 minutos) e grande album deste senhor pode ser obtido aqui (rapidshare; ficheiro .rar; muito boa qualidade sonora - média: 380 Kbps; password: loft).

one night to be confuse
done night to speed up truth
we had a promise made
four hands and then away

both under influense
we had devine scent
to know what to say
mind is a razorblade

to call for hands of above
to lean on
wouldn't be good enough
for me, no
(...)


terça-feira, novembro 29, 2005

Diálogo patrocinado pelo Movimento P.O.U.C.O.F.O.D.E.*

- Pai, o que é a Páscoa?
- Ora, Páscoa é.... bem... é uma festa religiosa!
- Igual ao Natal?
- É parecido. Só que no Natal comemora-se o nascimento de Jesus, e na Páscoa, se não me engano, comemora-se a sua ressurreição.
- Ressurreição?
- É, ressurreição. Maria, vem cá!
- Sim?
- Explica a esta criança o que é ressurreição para eu poder ler o meu jornal descansado.
- Bom, meu filho, ressurreição é tornar a viver após ter morrido. Foi o que aconteceu com Jesus, três dias depois de ter sido crucificado. Ele ressuscitou e subiu aos céus. Entendido?
- Mais ou menos... Mãe, Jesus era um coelho?
- Que é isso menino? Não me diga uma coisa destas! Coelho! Jesus Cristo é o Pai do Céu! Nem parece que este menino foi baptizado! Jorge, este menino não pode crescer assim, sem ir à missa pelo menos aos domingos. Até parece que não lhe demos uma educação cristã! Já pensaste se ele diz uma asneira destas na escola? Deus me perdoe! Amanhã vou matricular esta criança na catequese!
- Mãe, mas o Pai do Céu não é Deus?
- É filho, Jesus e Deus são a mesma coisa. Vais estudar isso na catequese. É a Trindade: Deus é Pai, Filho e Espírito Santo.
- O Espírito Santo também é Deus?
- É sim.
- E Fátima?
- Sacrilégio!!!
- É por isso que na Trindade fica o Espírito Santo?
- Não é o Banco Espírito Santo que fica na Trindade, meu filho. É o Espírito Santo de Deus. É uma coisa muito complicada, nem a mãe entende muito bem, para falar a verdade nem ninguém, nem quem inventou esta asneira a compreende. Mas se perguntar à catecista ela explica muito bem!
- Bom, se Jesus não é um coelho, quem é o coelho da Páscoa?
- (gritando) Eu sei lá! É uma tradição. É igual ao Pai Natal, só que em vez de presentes, ele traz ovinhos.
- O coelho põe ovos?
- Chega! Deixa-me ir fazer o almoço que eu não aguento mais!
- Pai, não era melhor que fosse galinha da Páscoa?
- Era, era melhor, ou então peru.
- Pai, Jesus nasceu no dia 25 de Dezembro, não é? Que dia que ele morreu?
- Isso eu sei: na sexta-feira santa.
- Que dia e que mês?
- ??????? Sabes que eu nunca pensei nisso? Eu só aprendi que ele morreu na sexta-feira santa e ressuscitou três dias depois, no sábado de aleluia.
- Um dia depois, portanto!
- (gritando) Não, filho! Três dias!
- Então morreu na quarta-feira.
- Não! Morreu na sexta-feira santa. Ou terá sido na quarta-feira de cinzas? Ah, miúdo, já me confundiste! Morreu na sexta-feira e ressuscitou no sábado, três dias depois!
- Como!?!? Como!?!?
- Pergunte à sua professora da catequese!
- Pai, então por que amarraram um monte de bonecos de pano na rua?
- É que hoje é sábado de aleluia, e a aldeia vai fingir que vai bater em Judas. Judas foi o apóstolo que traiu Jesus.
- O Judas traiu Jesus no sábado?
- Claro que não! Se ele morreu na sexta!!!
- Então por que eles não lhe batem no dia certo?
- É, boa pergunta.
- Pai, qual era o sobrenome de Jesus?
- Cristo. Jesus Cristo.
- Só?
- Que eu saiba sim, porquê?
- Não sei não, mas tenho um palpite de que o nome dele tinha no apelido Coelho. Só assim esta coisa do coelho da Páscoa faz sentido, não acha?
- Coitada!
- Coitada de quem?
- Da tua professora da catequese!!!


*Pelo O Uso do Crucifixo Obrigatório Fora Ou Dentro da Escola

segunda-feira, novembro 28, 2005

Ementa "há" portuguesa, concerteza!

sexta-feira, novembro 25, 2005

Coerência

Não posso deixar de louvar o belo trabalho do(s) dono(s) do blogue Kapa, que, aos poucos, tem vindo a recuperar os artigos que saíram na revista com o mesmo nome, no início dos anos 90.
Para quem, como eu, nessa altura não era mais do que um (distraído) adolescente que ocupava muito pouco dos seus tempos livres a ler, e o pouco que lia era por imposição escolar(!), é óptimo poder, hoje em dia, “saborear” os excelentes textos da autoria de A. J. Rafael, Miguel Esteves Cardoso (ver aqui também), Carlos Quevedo, Vasco Pulido Valente, Pedro Rolo Duarte ou... imagine-se, Paulo Portas!
Deste cronista, pode-se ler, logo na edição nº1 desta revista, um artigo (“Quando eu tinha 12 anos”) em que explica porque não gostava de revolucionários – logo no início do texto percebe-se que a aparência e postura descuidadas de Vasco Gonçalves terão sido a principal causa de tal trauma - e consequentemente, se tornou (logo aos 12 anos!?), um fã da “direita moderna”.

“Lembro-me perfeitamente. Como se fosse hoje. Vasco Gonçalves apareceu na televisão mais despenteado do que nunca. Parecia sentado numa cadeira, mas na verdade deitava-se nela. Fazia gestos brutos e metralhava palavras de irritação geral com o mundo. Havia baba e raiva. Ele coçava-se e a câmara tremia. Punha e tirava os óculos ao compasso dos amores e dos ódios.
(...)
A aparição do companheiro Vasco teve o efeito de me decidir. A imagem dele faz parte da minha memória do mal. Porque há sempre um momento, sei que Vasco Gonçalves teve a maior importância na minha iniciação militante. Se a primeira vez é importante, ele foi a minha primeira vez em política. Podia tê-lo seguido e ficaria do lado de lá da barricada: talvez fosse hoje um desses homens de esquerda que todos os dias matam a sombra, apagam o lastro e gozam o sistema. Mas não. Devo a Vasco Gonçalves o facto de ser uma criatura irremediavelmente de direita.
Olhei para ele e fiquei contra-revolucionário. Daí para a frente, passei a desconfiar dos militares e a detestar o comunismo. Quanto aos militares, façam lá o que fizerem as fardas oficiais, quero-os longe.”

Mas...?

Fico-me por aqui!

PS1 – O resto do texto/conto está muito bom e tem um final feliz mas dramático: ele escolhe Sá Carneiro em detrimento de Mário Soares e Freitas do Amaral.

PS2 – Confesso que até nem poderei ter tido uma adolescência perfeita (podia ter jogado menos à bola com os amigos e ter lido mais, por exemplo) mas pelo menos não me arrependo da pouca televisão que vi, pois parece que isso sempre pode ter demasiadas repercussões no nosso futuro (profissional, também) e ser perigosamente castrador.

quinta-feira, novembro 24, 2005

Um nanosegundo é...

... a fracção de tempo que decorre entre o semáforo ficar verde e o carro de trás buzinar.

Que tal variar um pouco?

terça-feira, novembro 22, 2005

Declaração

A partir de hoje, este blogue e seu respectivo proprietário, associa-se à causa do bom gosto e das boas maneiras e proíbe qualquer manifestação de afectos e pior ainda... de “afectos”. Exactamente com aspas, para vincar bem as diferenças, pois uma coisa é, num liceu, um jovem garanhão comer, quase literalmente, a sua “gaja”, e outra, são duas moças exibirem-se sexualmente através de beijos e apalpões e pior que tudo isso: tal comportamento afectar todos à sua volta (todos nós sabemos as insónias e os “traumas” que tal imagem causa a tanto homem!). Para quem, mesmo com este claro exemplo, não perceber bem as diferenças, que pergunte directamente ao Miguel Sousa Tavares. Porque de afectos e de “afectos”, de futebol em geral e do F.C. do Porto em especial, de férias judiciais, da situação privilegiada dos professores do nosso país, da diferença traumática (os abalos e os danos) de ser violado por um homem ou por uma mulher e, por um preto ou um branco (acrescento eu, porque me parece lógico pela mesma ordem de pensamento), de TGV´s e aeroportos ele percebe melhor que ninguém!

Assim, como vale mais evitar caír numa ditadura bem-pensante do que entrar em ideologias do que é politicamente correcto e do bom-senso, proponho aos meus visitantes então, que deixemos os abraços e os beijos para momentos mais intímos e que nos comentários se passe a usar só “cumprimentos” ou, talvez, um “aperto de mão” em ocasiões e épocas especiais e só entre pessoas de sexo diferente.
Cordialmente, agradecido.





(Era só o que faltava! ;))

segunda-feira, novembro 21, 2005

A maior árvore de natal da Europa

Decidam-se!

O proprietário deste blogue tem o prazer de divulgar, em regime de exclusividade, o último comunicado do nosso Big Boss, mais uma vez, através da sua assistente de direcção preferida, essa mesmo: a tão nossa Alexandra Solnado.
Xaninha,
Avisa aí os teus conterrâneos que nem Eu os entendo: se não chove é porque não chove, se mando-vos chuva é este suplício! Decidam-se de uma vez... depois envia-me uma msg, tá?
jinhos
Christ

sexta-feira, novembro 18, 2005

Um Toblerone


O Padre Dinis era novo na freguesia tendo substituído o velho padre Eustácio. Dinis estava uma bela tarde no confessionário, quando surge um jovem para a confissão:
- Sr. Padre vinha confessar-me...
- Diz lá rapaz que pecado cometeste?
- Ai Sr. padre, ontem à noite estive a sós com a minha namorada e...depois tive relações sexuais com ela.
- Mas ter relações sexuais não é pecado.
- Mas Sr. Padre é que meti o pén.. no an.. da minha namorada. Queria que me desse a penitência. O Padre Dinis fica atrapalhado mas grita para a sacristia:
- Oh sacristão, o que é que o padre Eustácio dava pela prática de sexo anal?
- Dava-me um chocolate Toblerone, Sr. Padre...

quinta-feira, novembro 17, 2005

Aluga-se carro "armadilhado"...

O texto que se segue foi por mim recebido, via e-mail, há alguns dias atrás e faz parte daquele lote de correio que se costuma receber em catadupa, para nos alertar de ou para qualquer coisa e que geralmente nos surpreende sempre pela a confidencialidade da sua informação, e, salvo algumas excepções, nunca se apresentam assinados.

Novas armadilhas Brigada de Trânsito

NÃO TENHAM JUÍZO, NÃO!!!!!
Por este andar, no fim do ano estamos todos sem carta e sem carro para pagar as multas. Recentemente, por ter contactos com agentes da autoridade GNR, foi-me "facultada" informação preocupante para quem anda na estrada e que para isso as Brigadas têm:
- Carros Novos;
- Novos Modos de Actuação;
- Detectores de Radares (Caça-B.T.)
- Radares Digitais;
- Bases de Dados Directas;

Na BT tem viaturas:
- Audi's A4, A6, A8 (sim A8!)
- VW's Golf
- Renault's Laguna
- Subaru's Impreza WRX (mas também há quem diga que já existem STi's)
- Skoda's Octavia (carrinhas c/ 2 ocupantes, cadeirinha de bébe atrás,autocolante de "Bebé a Bordo" e melhor que tudo, radares à frente e atrás. Têm ordens para não parar viaturas, filmam e mandam para casa).
- Opel Astra (8 viaturas)
- Toyota's Corolla (Atenção que têm olheiros nas Auto-Estradas que rola sempre a 120kmh com comerciais, sozinhos e enviam informações digitalmente para os Impreza, Avensis, BMW, Audis, Nissan Almera e Primera (A1 e A2 cinzas, brancos, azul claros, e pretos).

Modos de actuação:
Actualmente há ordens para não mandar parar nas Auto-Estradas! Assim, não há maneira de contestar a actuação dos agentes, que fazem o filme e enviam directamente para a DGV. Depois, a DGV abre o processo e envia para o proprietário da viatura(mesmo que não sejao proprio tem informar quem foi o "artista", caso contrário paga o dono!). Mais radares fixos estão a ser colocados na A1, A2, nas pontes, que depois enviam para o comando da BT tudo o que captam.
Já os há também na CREL, CRIL, IC19, IC20 (costa da caparica), A5, A8, A23, IP3, IP5 e Via do Infante Algarve).

Detectores de radar:
Dão jeito, mas também dão belas multas que podem chegar aos 5000 EUR a BT tem nos BMW, Audis, Imprezas, Toyotas e Golf, detectores para esses aparelhos e podem legalmente mandar parar a viatura, e com 99.8% de certeza apreender o veículo para inspecção da DGV... Depois queixem-se! - (o meu irmão ficou sem um Clio para pagar a coima,chegou aos 4800 EUR mais as custas do processo).

Há também agora um gabinete nacional na DGV, que canaliza informações diversas a outros departamentos e instituições nacionais, pelo que no final deste ano vão dar cabo de nós! As infracções ao código da estrada vão passar para uma base de dados nacional, à qual as seguradoras podem aceder sempre que haja renovação ou alteração do seguro e mesmo que não tenhamos acidentes....voilá.... agravamento no seguro pois temos multas pendentes ou já pagas mas somos já "criminosos"! (cada vez melhor...). Isto aplica-se para o ano também no selo municipal (para o comprar temos que pedir uma certidão do cadastro do condutor/viatura na DGV e só depois podemos comprar o selo (agravamentos até 100%).
Última hora!
Cuidado com os Seat Leon, pretos, cinzas claro e azuis... PSP Divisão de Trânsito tem uns "diabos camuflados" a circular em Lisboa tal e qual como a BT - Toyota Avensis, os tem nas Auto-estradas a circular...
Os Seat têm dupla centralina, preparados pela Seat Motosport e os Toyota foram preparados pela Toyota Racing-Germany(ou TTE) com potências bem engraçadas... Seat Leon (bem normal -exterior) têm meus senhores um motor 2.0 (Gasolina) com 280 CV e TDI com 180CV. Os Toyota só os há a Gasóleo e têm todos 200 CV... Atenção também aos Astra da BT... Há lá uns "diabos camuflados" e já vi um em operação Stop na Ponte 25 Abril que apanhou um Saxo Cup roubado na saída do Fogueteiro com 9 tiros no carro e veio colado a ele a 232 Km/h (está filmado) passou na SIC a semana passada num programa sobre a criminalidade na sociedade Portuguesa....
Um Leon da PSP e um Avensis da BT... Os novos pirilampos estão o máximo, e as sirenes podem fazer tanto barulho que nem se ouve quase-nada!!! Já agora, eu sei do que estou a falar... trabalho há 8 anos nas equipas de vigilância da DGV...


Anónimo por motivos obvios...

PS: Depois de lerem a descrição acima, enviem esta informação para o máximo de amigos e conhecidos.


A ser verdade o que o senhor “Anónimo por motivos óbvios” escreve, eu questiono: esta nossa Brigada de Trânsito é um corpo de segurança militarizado, ou um stand com viaturas de alta cilindrada e/ou desportivas para aluguer e com circulação limitada aos principais itinerários e auto-estradas do nosso país, sendo este e-mail, não mais do que uma forma descarada de fazer publicidade gratuita à frota existente?

segunda-feira, novembro 14, 2005

Ressaca do fim de semana!

sábado, novembro 12, 2005

Impulsos Fatais

Tive conhecimento desta notícia através do Pópulo e tal como ML e todas as pessoas que comentaram o seu post, também eu não pude deixar de ficar muito chocado, mas nem tanto surpreendido.
O facto de o uso do preservativo ser actualmente uma prática comumente aceite, não significa que tal seja praticada, ou seja, ninguém duvida da indispensabilidade do seu uso mas ainda há algumas pessoas, que nesses momentos mais intensos, se esquecem de tudo o que é indispensável saber, para além de receber (e dar) prazer.
E porquê?
Longe de limitarmos este problema a causas de falta de informação, educação, inteligência ou outra, devemos pensar que todo o acto sexual em si é composto de impulsos e estes, como se sabe, são geralmente instantâneos e pouco ou nada reflectidos. Assim sendo, não me surpreende que muito boa gente naqueles momentos mais "quentes" se deixem levar por eles (aqui está: os impulsos) e nem pensem nas consequências.
Chocamo-nos, também, pelo o facto de ser, nomeadamente, os homens casados a pedirem às prostitutas relações sem protecção, porque sabemos perfeitamente que não é só a vida dele (cliente) e dela (prostituta) que está aqui directamente também em causa.

quinta-feira, novembro 10, 2005

A petição


To: SIC RADICAL
Esta petição vem no sentido de pedir ao actual director da SIC RADICAL a reposição do DAILY SHOW no referido canal e no(s) dia(s)/horário(s) que sempre ocupou... Não estamos, contudo, a pedir para acabarem com qualquer outro programa ou que determinado é mau, isso é para os espectadores decidirem, apenas queremos a volta do DAILY SHOW. Esta petição e as suas assinaturas serão depois enviadas para o e-mail do director da SIC RADICAL e-pombo@sicradical.pt.


Os interessados podem assinar esta petição aqui e divulga-la, por favor.
Obrigado.

quarta-feira, novembro 09, 2005

E os supositórios, contam?



Zézé Camarinha lamenta que "muitas mulheres, nos dias de hoje, cheguem a casa e encontrem os seus homens com um parceiro na cama. Outras passam meses sem ter relações sexuais. Há muita gente infeliz e desesperada por este tipo de situações e o Instituto de Salvação dos Homens - que tem registado uma grande aceitação entre as mulheres - pretende dar respostas, através de acompanhamento médico e psicológico e outro tipo de ajudas".
O Instituto "está a dar os primeiros passos com vista à legalização", e Zézé Camarinha já definiu uma das regras para a aceitação de sócios. "Os homens precisam de trazer uma declaração médica a garantir que nunca foram penetrados no ânus. Não queremos infiltrados..."

Há uns que contrariam as suas frustações incendiando carros, há outros que só dizem merda!

terça-feira, novembro 08, 2005

Vergonhoso!

"O Exército dos EUA utilizou grandes quantidades de químicos, incluindo uma variante do Napalm, durante a ofensiva levado a cabo em Novembro de 2004 contra a cidade de Fallujah, no centro do Iraque, segundo uma reportagem da televisão italiana RAI.
O uso destas armas químicas já havia sido denunciado por fontes próximas aos insurgentes. Em resposta às acusações, o Exército dos EUA não negou a utilização de uma destas substâncias, o fósforo branco, porém assegurou que não se trata de uma «arma ilegal» alegando que apenas a usou para iluminar posições inimigas.
A reportagem, intitulada «O massacre escondido», que será transmitida na íntegra esta terça-feira mas cujo conteúdo foi antecipado na véspera, inclui, entre outros documentos, uma entrevista a um soldado norte-americano que combateu em Fallujah e que confirmou o uso destes químicos.
«Ouvi a ordem para estarmos atentos porque tinham acabado de usar o fósforo branco sobre Fallujah. Na gíria militar é conhecida como “Willy Pete”».
«O fósforo queima o corpo, derrete a carne até aos ossos», declarou o soldado ao enviado especial da RAI.
«Vi corpos queimados de mulheres e crianças», acrescentou o militar.
«O fósforo estala e forma uma nuvem que se propaga num raio de 150 metros», precisou.
A reportagem mostra também filmagens e fotografias tiradas no Iraque após os bombardeamentos de Novembro de 2004, e torna público um documento que prova que foi usado no Iraque uma versão do Napalm – a substância empregue nas bombas incendiárias na guerra do Vietname – denominada MK77.
O uso destas armas sobre civis está proibido pelas convenções da ONU de 1980, e o de substâncias químicas por um outro acordo internacional assinado pelos EUA em 1997."

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=10&id_news=200507

Imagens do jornalista que denuncia: aqui.

segunda-feira, novembro 07, 2005

Ode ao Norte

Um destes dias partilhei com um amigo aquilo que sentia pela região norte do nosso país e lembro-me o quanto difícil foi arranjar explicações para tais sentimentos, pois tal me parecia, de certa forma, inexplicável. Sempre que visitava (e visito) esta região descubro coisas novas e, salvo raras excepções, sempre agradavelmente surpreendentes e encantadoras. Seja uma terrinha nova, uma vila ou uma cidade, uma expressão nortenha, uma tasca, uma iguaria... Seja o carinho, a hospitalidade e a humildade de mais um(a) amigo/a. Viajo sempre com uma grande ansiedade e os trezentos e tais quilómetros fazem-se com o melhor das disposições. Mas o mais difícil de explicar são as despedidas. Pois é, o regresso deixa-me deprimido e nostálgico e fico sem palavras para definir o que sinto pelo o que deixei para trás. Nenhuma outra região em Portugal me deixa assim.
Entretanto, ele passou-me este artigo do Miguel Esteves Cardoso que saíu na revista Capa K há quinze anos atrás, que poderá explicar, em parte, estas emoções e do qual partilho por aqui, de seguida, alguns parágrafos.
"(...)No norte a comida é melhor. O vinho é melhor. O serviço é melhor. Os preços são mais baixos. Não é difícil entrar ao calhas numa taberna, comer muito bem e pagar uma ninharia. Estas são as verdades do Norte de Portugal. Mas há uma verdade maior. É que só o Norte existe. As partes mais bonitas de Portugal, o Alentejo, os Açores, a Madeira, Lisboa, et caetera, existem sozinhas. O Sul é solto. Não se junta. Não se diz que é do Sul como se diz que é do Norte. No Norte dizem-se e orgulham-se de se dizer nortenhos. Quem é que se identifica como sulista? No Norte, as pessoas falam mais no Norte do que todos os portugueses juntos falam de Portugal inteiro.
(...)No Norte, Portugal tira de si a sua ideia e ganha corpo. Está muito estragado, mas é um estragado português, semi-arrependido, como quem não quer a coisa. O Norte cheira a dinheiro e a alecrim. O asseio não é asséptico – cheira a cunhas, a conhecimentos e arranjinho. Tem esse defeito e essa verdade.
(...)O Norte é a nossa verdade. Ao princípio irritava-me que todos os nortenhos tivessem tanto orgulho no Norte, porque me parecia que o orgulho era aleatório. Gostavam do Norte só porque era do Norte. Assim também eu. Ansiava por encontrar um nortenho que preferisse Coimbra ou Algarve, da maneira que eu, lisboeta, prefiro o Norte. Afinal, Portugal é um caso muito sério e compete a cada português escolher, de cabeça fria e cabeça quente, os seus pedaços e pormenores.Depois percebi. Os nortenhos, antes de nascer, já escolheram. Já nascem escolhidos. Não escolhem a terra onde nascem, seja Ponte de Lima ou Amarante, e apesar de as defenderem acerrimamente, põem acima dessas terras a terra maior que é o “O Norte”. Defendem o Norte em Portugal como os portugueses haviam de defender Portugal no mundo.Este sacrifício colectivo, em que cada um adia a sua pertença particular – o nome da sua terrinha – para poder pertencer a uma terra maior, é comovente. No Porto dizem que as pessoas de Viana são melhores do que as do Porto. Em Viana, dizem que as festas de Viana não são tão autênticas como as de Ponte de Lima. Em Ponte de Lima dizem que a vila de Amarante ainda é mais bonita.
O Norte não tem nome próprio. Se o tem não o diz. Quem sabe se é mais Minho ou Trás-os Montes, se é litoral ou interior, português ou galego? Parece vago. Mas não é. Basta olhar para aquelas caras e para aquelas casas, para as árvores, para os muros, ouvir aquelas vozes, sentir aquelas mãos em cima de nós, com a terra a tremer de tanto tambor e o céu em fogo para adivinhar.
O nome do Norte é Portugal. Portugal, com nome de terra, como nome de nós todos, é um nome do Norte. Não é só o nome do Porto. É a maneira que têm de dizer “Portugal” e “Portugueses”. No Norte dizem-no a toda a hora, com a maior das naturalidades. Sem complexos e sem patrioteirismos. Como se fosse só um nome. Como “Norte”. Como se fosse assim que chamassem uns pelos os outros. Porque é que não é assim que nos chamamos todos?"
in "Norte, Nome de Portugal", Miguel Esteves Cardoso, Revista Capa K, Novembro 1990
Zé, muito obrigado!

sexta-feira, novembro 04, 2005

Somos todos efémeres

Trata-se de um album de 2004 mas só este ano está a ser devidamente reconhecido. Refiro-me a Joyful Rebellion dos K-OS. Hip-hop de boa qualidade muito longe dos estereótipos gangsta.

A faixa nº7, “The Love Song”, é a música do momento e faz a banda sonora do novo anúncio da Vodafone: “Viva o momento. Now”. Aquele da Efémera, que narra a história do pequeno insecto, aparentemente frágil, mas que sabe utilizar do melhor modo cada momento da sua curta vida. Um belo spot publicitário e uma grande lição de vida.
Mas há quem prefira “a vida como ela é” (passe a publicidade novamente) e nem sabe o que perde.

Quem pretender fazer o download deste album, faça o obséquio de ir por aqui.

quarta-feira, novembro 02, 2005

Tacho nº 22 237


Ainda estou em estado de choque... tecnológico?!

terça-feira, novembro 01, 2005

O concerto



Quem são estes cromos que vão abrir o espetáculo para os grandes The Room 74? :roll: