segunda-feira, dezembro 28, 2009

Oh pra mim tão indie

No passado Natal foi-me oferecido um telemóvel Vodafone Indie. Este recente telemóvel touchscreen, onde tudo funciona dentro de um pequeno ecrã táctil de 2,4’’, parecia-me ser muito idêntico aos restantes modelos de telemóveis touchscreen disponíveis actualmente no mercado a preços superiores. A garantia de ser da marca da própria empresa multinacional de telecomunicações pareceu-me, também, ser à priori uma mais-valia para o produto. No entanto, o meu entusiasmo pelo presente foi subitamente assombrado quando vi parte do ecrã principal preenchido com uma barra negra, onde supostamente deveria aparecer, opcionalmente, a data, a hora e o nome da operadora. Inicialmente ainda tive algumas esperanças que tal barra desaparecesse com a ocultação daquelas três opções ou através de um qualquer ajuste nas configurações do aparelho. Mas não. Segundo os vários técnicos da loja da própria marca no Cascais Shopping, que consultei posteriormente, este modelo de telemóvel foi mesmo pensado e criado com uma barra escura a ocupar quase metade de um ecrã, que já por si só não é muito grande e o resultado (diria hilariante ou ridículo, dependendo dos pontos de vista) é o que se pode ver nas três imagens seguintes. E descubra-se as diferenças comparando com a publicidade que a Vodafone faz ao produto em causa. A comprovar igualmente pela imagem junta. Portanto parece-me pertinente a questão que deixo à Vodafone: para que serve um aparelho repleto de componentes multimédia, jogos, leitor de MP3, rádio, câmara, entre outros, com pouco mais de 0,6 MB de memória e com uma boa parte do seu ecrã principal indisponível?

domingo, dezembro 20, 2009

A petulância


Parece que no Natal comemora-se o nascimento de Jesus de Nazaré, uma celebração cristã festejada, actualmente, com um consumismo desmedido. Tudo coisinhas que o autor adora/acredita, portanto.

sexta-feira, dezembro 18, 2009

Das weisse Band - Eine deutsche Kindergeschichte


Parece que vamos ter que esperar mais umas semanas pela estreia de um dos filmes do ano. Depois das festividades ficaremos a saber então mais um pouco sobre a origem da maldade humana. Dá sempre jeito nos tempos que correm.

quinta-feira, dezembro 17, 2009

As iniquidades dos homens estão fazendo transbordar o cálice da ira de Deus. Portanto, apeguem-se ao Senhor de todo coração, pois Ele agirá.

Tribunal confia crianças a casal homossexual

O Tribunal de Oliveira de Azeméis entregou ontem, quarta-feira, a guarda de duas meninas a um tio que vive com outro homem. A juíza entendeu que o casal homossexual tem melhores condições para tratar das crianças do que os pais.

O resto aqui (com os habituais hilariantes comentários como bónus).

sábado, dezembro 12, 2009

Com os chifres lá bem no alto

Sempre com boas recomendações no seu cardápio, o Puto acertou mais uma vez. O belo disco dos The Antlers é uma perfeita banda sonora para estes dias frios e noites geladas.
A ouvir com moderação: não me estou a lembrar de nada mais depressivo que ouvir, por exemplo, Kettering a caminho de um funeral de um familiar. No entanto, amanhã, conto sobreviver à arrojada experiência.

O júri do Prémio Pessoa devia ler mais Pessoa

Maravilhosa gente humana que vive como os cães,
Que está abaixo de todos os sistemas morais,
Para quem nenhuma religião foi feita,
Nenhuma arte criada,
Nenhuma política destinada para eles!
Como eu vos amo a todos, porque sois assim,
Nem imorais de tão baixos que sois, nem bons nem maus,
Inatingíveis por todos os progressos,
Fauna maravilhosa do fundo do mar da vida! (...)


"Ode Triunfal" - Fernando Pessoa/Álvaro de Campos

sexta-feira, dezembro 11, 2009

Play, mate

terça-feira, dezembro 08, 2009

Os anjos também vão ao futebol



Esta Plataforma, que não é nada perspicaz em escolher os locais onde a homofobia impera para espalhar a sua palavra, só não sabe que no próprio terreno de jogo este assunto já ultrapassou a fase da discussão e atingiu a prática. Entre outros exemplos: aqui e aqui. Só ainda não casam.



Agora em vez de passarem para os grupos de taxistas e de trolhas, queria-os ver no Bairro Alto ou no Príncipe Real vestidinhos de branco pureza, de pastinha no braço, a pregar pelo "debate".

segunda-feira, dezembro 07, 2009

Inês no país do pop maravilha

As miúdas que chegaram à mais recente fase do concurso de novos talentos da SIC são todas muito bonitas. Mas se isto é um concurso em que o talento musical sobrepõe-se à imagem, a menos bonita acaba por ficar a milhas das outras.

Entre outras preciosidades, a nossa Lily Allen de 16 anos faz versões da Ella Fitzgerald como gente (muito) grande, que, segundo o pseudo-júri do programa, ninguém ("lá em casa") entendeu. Nem o próprio pseudo-júri.

domingo, dezembro 06, 2009

O armagedão jornalístico

il dignis estrud dolummodion? Fónix.

sábado, dezembro 05, 2009

Ficas em casa até te decidires ser um bom profissional, que é para isso que te pagam!

Imaginem que têm uma empresa e recrutam alguém de uma outra concorrente. Achariam correcto se esse trabalhador, numa situação de disputa entre a "ex" e a actual empregadoras, assumisse uma postura de "estou dividido mas vou procurar fazer meu trabalho"? Ora nem mais.