quarta-feira, dezembro 04, 2013

Sim, sim




Vamos todos perder tempo e gastar 10 milhões de euros a decidir se o gay X ou a lésbica Y devem ou não oficializar a parentalidade de alguém, que é “só” o filho do(a) companheiro(a).
Isto, porque um grupo de deputados do PSD descobriu que, por entre as suas inseguranças pessoais, tem muito tempo livre para começar a segunda fase da sua massiva campanha de lubidriação do conceito “co-adopção” e que Portugal tem de ser a Suiça-dos-referendos-por-dá-cá-aquela-palha da região mediterrânica.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home