domingo, junho 19, 2011

Do céu de Copenhaga



Os santos viram máquina mas a sua essência está toda lá. É uma das conclusões que retiro da audição de "Konkylie", o segundo álbum dos dinamarqueses When Saints Go Machine.
As vozes são angelicais e não perdem o seu poder sedutor com a introdução da electrónica ("maquina"). Pelo contrario: ganham ritmo e vigor, logo suponho que se trata de uma combinação perfeitamente planeada no céu para ser concretizada na terra.

Se a música de Antony Hegarty fosse produzida pela melhor electrónica escandinava, dos The Knife a Trentemøller, o resultado também não andaria muito longe disto.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home